Arte: em Londres, a exposição “Cézanne Portraits”

Ao longo de 45 anos de atividade artística, o francês Paul Cézanne (1839-1906) pintou quase mil telas. Desse total, 160 foram retratos. Agora, 50 deles chegam a Londres na exposição Cézanne Portraits, que abre hoje para o público na National Portrait Gallery (site oficial aqui).

Um dos principais nomes do pós-impressionismo, Cézanne influenciou praticamente todo mundo que veio depois dele. Tanto que Picasso e Matisse o consideravam “o pai de todos nós”. Suas paisagens e naturezas mortas, que pavimentaram o caminho para o cubismo e toda a arte abstrata, são seus trabalhos mais conhecidos.

Diferentemente de outros pintores de sua época, que recebiam vários pedidos de retratos, Cézanne nunca teve nenhuma encomenda. Pintava, então, a própria mulher, Hortense Fiquet, o pai, um tio, amigos — até o jardineiro de sua casa em Aix-en-Provence, no Sul da França.

Alguns desses retratos pertencem ao Museu D’Orsay, em Paris, e à National Gallery of Art, de Washignton, e estão sendo exibidos pela primeira vez no Reino Unido na exposição Cézanne Portraits.

A mostra fica em cartaz até 11 de fevereiro de 2018. A entrada custa 18 libras — sim, apesar de a National Portrait Gallery ser um museu gratuito, algumas exposições especiais, como esta, cobram ingresso.

 

Auto-retrato de Paul Cézanne pintado entre 1885 e 1886, na exposição Cézanne Portarits, em Londres
Auto-retrato de Paul Cézanne pintado entre 1885 e 1886
A tela Madame Cézanne em uma Cadeira Amarela (1888-90) na exposição Cézanne Portaits, em Londres
A tela Madame Cézanne em uma Cadeira Amarela (1888-90)
O marchand de Cézanne, Ambroise Vollard, pintado em 1899, na exposição Cézanne Portraits, em Londres
O marchand de Cézanne, Ambroise Vollard, pintado em 1899

 

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *