Lista: as curiosidades sobre os 30 anos de O Fantasma da Ópera, na Broadway

Os 30 anos de O Fantasma da Ópera na BroadwayA semana é de festa na Broadway. Na sexta-feira, dia 26, serão comemorados os 30 anos de O Fantasma da Ópera, em Nova York. Trata-se de uma marca nunca antes alcançada por um musical na capital do teatro americano.

Só para efeitos de comparação, Chicago, o segundo espetáculo mais antigo em cartaz por lá, subiu aos palcos há 21 anos, e O Rei Leão, o terceiro colocado, completou 20 anos em novembro do ano passado (para ler mais sobre O Rei Leão aqui no Carioca NoMundo, clique neste link).

A comemoração oficial pelos 30 anos de O Fantasma da Ópera será dois dias antes da data oficial, na quarta-feira, dia 24, quando haverá uma apresentação de gala no Majestic Theatre, na Rua 44.

Após o fim do espetáculo, acontecerão, no palco, shows surpresa de artistas convidados. No mesmo dia, uma iluminação especial tomará conta do Empire State Building, com a presença do elenco.

O Fantasma da Ópera leva a assinatura do compositor britânico Andrew Lloyd Webber, responsável também por sucessos do teatro musical como Jesus Cristo Superstar, Cats, Evita e Sunset Boulevard.

Em cena, está a história da cantora de ópera Christine que vira o alvo da obsessão de um talentoso músico com o rosto desfigurado que vive no subterrâneo de um teatro de Paris, em 1881. Sim, ele mesmo: o Fantasma da Ópera!

Para celebrar os 30 anos de O Fantasma da Ópera na Broadway, fiz uma lista com várias curiosidades sobre o musical.

 

1) OS NÚMEROS

Desde 26 de janeiro de 1988, O Fantasma da Ópera já foi apresentando 12.500 vezes, em Nova York, com 18 milhões de espectadores. Ao redor do mundo, o musical já foi montado em 27 países e assistido por 140 milhões de pessoas. A estreia foi em Londres, em 1986, onde o musical também ainda está em cartaz.

Os 30 anos de O Fantasma da Ópera na Broadway

 

2) O DINHEIRO

O faturamento desses 30 anos de O Fantasma da Ópera na Broadway foi impressionantes 1,1 bilhão de dólares.

 

3) O CUSTO

Em 1988, o musical custou 8 milhões de dólares para ser montado. Calcula-se que, em valores de hoje, seriam necessários 20 milhões de dólares para levar O Fantasma da Ópera aos palcos.

 

4) O ELENCO

Mais de 400 atores já passaram pelo elenco do musical nestes 30 anos de O Fantasma da Ópera. O protagonista foi vivido por 15 atores diferentes. Quem ficou mais tempo no papel foi Howard McGilin, com 2.500 performances. O Fantasma atual, desde 16 de janeiro, é o sueco Peter Jöback. É a sua segunda vez na produção (a outra foi em 2013) e ele foi o primeiro ator europeu a viver o personagem na Broadway. Entre 2014 e 2015, o Fantasma foi interpretado por Norm Lewis, o primeiro negro a assumir o papel em Nova York. A cantora Sarah Brightman, então mulher de Andrew Lloyd Webber, foi a primeira Christine da Broadway, de janeiro a junho de 1988.

Os 30 anos de O Fantasma da Ópera na Broadway

 

5) OS FIGURINOS

São 230 figurinos e 111 perucas confeccionadas com cabelo humano e sintético, além de pelos de iaque (uma espécie de bovino gigante). Como a história se passa em 1881, as roupas são de época, com confecção trabalhosa e cheia de detalhes. Por isso, os figurinos são amplamente reaproveitados sempre que há alguma troca no elenco. Estima-se que cada roupa já tenha sido usada por 10 atores diferentes — e algumas delas estão em uso há 20 anos.

 

6) A MÁSCARA

A máscara que esconde o rosto deformado do Fantasma da Ópera é feita sob medida para cada um dos atores que interpretam o papel. Afinal, eles podem ter as bochechas mais ressaltadas ou o queixo mais alongado ou a testa mais larga e por aí vai. Como trata-se de um adereço delicado (e de uso intenso), mais de 300 máscaras já foram confeccionadas nestes 30 anos de O Fantasma da Ópera na Broadway.

Os 30 anos de O Fantasma da Ópera na Broadway

 

7) A PRODUÇÃO 

Para que tudo dê certo, em todas as apresentações, há 125 pessoas em ação no Majestic Theatre durante o espetáculo. Além do elenco, tem a orquestra, os técnicos (de som, de luz, de efeitos especiais), os camareiros, os contra-regras, os funcionários do teatro que trabalham na bilheteria, na segurança, etc.

 

8) INTERRUPÇÃO

O espetáculo é apresentado oito vezes por semana, de segunda a sábado, com duas récitas na quinta e duas no sábado. São duas horas e 30 minutos de espetáculo, com um intervalo de 15 minutos, e ingressos a partir de 44 dólares (mais detalhes aqui). A maior interrupção que O Fantasma da Ópera já sofreu foi em 2008, quando parou por quatro dias para que o sistema de som do teatro fosse modernizado.

Os 30 anos de O Fantasma da Ópera na Broadway

 

9) A CENA DO BARCO

O barco a bordo do qual o Fantasma desliza pelos canais subterrâneos de Paris é o elemento central de uma das mais marcantes cenas do espetáculo. Ele é acionado por um controle remoto sem fio manuseado por um técnico que está fora do placo. Nos primeiros anos do musical, esse equipamento sofria com a interferência das ondas dos rádios dos táxis que circulavam pela área do teatro e, sim, o barco já enguiçou várias vezes.

 

10) O GELO SECO 

Ainda na cena do barco, grande parte da magia que se vê vem da bruma que se espalha pelo palco e faz parecer que a embarcação está mesmo flutuando sobre a água. Para alcançar este efeito, 180 quilos de gelo seco são usados por espetáculo. Em 30 anos, já foram consumidas 2,5 toneladas de gelo seco.

 

11) A CENA DO LUSTRE

O lustre que “cai” sobre a plateia no fim do primeiro ato é composto por seis mil peças e pesa uma tonelada. Assim como o barco, ele também já enguiçou e não despencou em algumas apresentações.

 

12) OS IDIOMAS

O Fantasma da Ópera já foi encenado em 15 idiomas, entre eles o japonês, o húngaro, o sueco, o russo e o coreano. No Brasil, estreou em 2005, no Teatro Abril, em São Paulo, e ficou em cartaz até 2007, com o ator Saulo Vasconcelos no papel do Fantasma. Há uma nova produção programada para estrear (novamente em São Paulo) no segundo semestre de 2018.

Os 30 anos de O Fantasma da Ópera na Broadway

 

13) OS PRÊMIOS

Das dez indicações para o prêmio Tony de 1988, O Fantasma da Ópera levou sete: melhor musical, direção, ator, atriz coadjuvante, cenário, figurino e iluminação. Curiosamente, as músicas de Andrew Lloyd Webber, Charles Hart e Richard Stilgoe, com sucessos como All I Ask of You e The Music of The Night, não garantiram ao espetáculo o troféu de melhor trilha sonora daquele ano (o prêmio ficou com Stephen Sondheim, por Into The Woods).

 

14) NO CINEMA

Em 2004, o musical virou filme, com direção de Joel Schumacher. O ator Gerard Butler interpretou o Fantasma. A produção fez menos sucesso que o esperado, com arrecadação de 155 milhões de dólares, pouco mais que o dobro do que custou.

 

15) CONTINUAÇÃO

Em março de 2010, estreou no Teatro Adelphi, em Londres, o musical Love Never Dies, uma continuação de O Fantasma da Ópera, com músicas de Andrew Lloyd Webber e Glenn Slater. A ação foi transferida para a Nova York de 1907, onde o Fantasma agora se apresenta em freak shows de Coney Island. Até o dia em que sua amada Christine aparece em turnê pela cidade… O espetáculo dividiu a crítica e nunca chegou a estrear em Nova York.

 

Fotos: Divulgação

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *