Meia volta ao mundo em primeira classe e executiva só com milhas – parte 1

A cabine da nova business class da American Airlines

É isso mesmo que o título diz. Dei meia volta ao mundo, na rota São Paulo–Nova York–Montreal–Paris–Kuala Lumpur–Bangkok , usando apenas milhas. E vou contar todos os detalhes numa série de três posts que começa agora.

Nessa primeira etapa da viagem, usei 50 mil milhas da American Airlines, que custaram 1.017 dólares, para voar na sua novíssima business class, entre Brasil e América do Norte, mais especificamente de Campinas a Nova York, com conexão para Montreal, no Canadá, tudo no mesmo bilhete.

Uma pechincha, considerando-se que a mesma passagem, em alta temporada, custa cerca de 4.800 dólares, ida e volta, ou 2.400 dólares por trecho.

Veja o caminho:

– A primeira coisa a fazer é se inscrever no programa de milhagem da American, o AAdvantage, caso você ainda não faça parte dele. Isso é facílimo e pode ser feito online, no site da companhia.

– Feito isso, você tem que voar, voar e voar para acumular pontos. Em um voo Rio-NYC ou São Paulo-NYC, por exemplo, você ganha, em média, 4.700 milhas.

– Também é possível acumular milhas no AAdvantage ao voar nas companhias aéreas da One World (LatamBritish Airways, Iberia e tantas outras), ou ainda através de parceiras, como a Etihad, que voa entre São Paulo e Abu Dhabi. Ou seja, ao pegar uma ponte aérea Santos Dumont–Congonhas com a Latam, você pode pontuar esse trecho no programa AAdvantage. Da mesma forma que você ganha pontos AAdvantage voando com essas empresas, é possível resgatar bilhetes prêmio em todas elas. É o que eu mais faço!

– Acumular milhas no cartão de crédito. É uma dica manjada, mas funciona bastante para quem usa cartão com frequência. Sua passagem poderá sair de graça, simplesmente por você ter sido fiel à bandeira do seu cartão. Todos os meus pontos do Visa, por exemplo, vão diretamente para o AAdvantage.

– Comprar milhas. A maior parte das companhias vende suas milhas online, o que, em geral, é um bom negócio. Agora é um ótimo momento para comprar, pois a AA está com uma oferta de até 45 mil milhas de bônus para quem adquirir um total de 100 mil. Nesse caso, as 50 mil milhas necessárias para voar em executiva entre o Brasil e qualquer ponto da América do Norte saem por 1.017 dólares. Se você já tiver milhas AAdvantage e precisar comprar uma quantidade menor para atingir a pontuação necessária, também é possível. Confira no site. Tudo isso é matemática! Você verá que, ao adquirir milhas, seu bilhete sai por menos da metade do preço.

– Um outro pulo do gato: milhas da Alaska Airlines. Considerada a melhor companhia aérea americana, ela tem parceria com a American, Aeromexico, Cathay Pacific, Delta, Korean Air e Emirates. É possível comprar milhas da Alaska no site e trocar por bilhetes prêmio em todas essas empresas. Lembre-se que você não precisa necessariamente voar para estar inscrito no programa de milhagem. Basta preencher seu cadastro online e pronto. São necessárias 50 mil milhas Alaska para voar Brasil–EUA na executiva da AA. Numa recente promoção online, a empresa oferecia 35% de bonificação para quem comprasse milhas online. Um lote de 38 mil milhas saía por 1.045 dólares, que, somando o bônus, viravam 51 mil milhas. O suficiente para voar em executiva do Rio para NYC, de São Paulo para Miami, ou entre qualquer cidade do Brasil e da América do Norte. Simples assim.

 

Confira agora as novidades da nova business class da American Airlines, com as fotos que fiz no voo AA 958, na rota Campinas–Nova York.

A configuração das poltronas 1-2-1 garante maior privacidade aos passageiros. Passageiros sentados nas fileiras ao lado da janela voam em poltronas individuais. As duas poltronas do meio têm acesso livre ao corredor durante todo o voo
Mais espaço entre as poltronas que viram camas na hora de dormir
As novas poltronas de executiva da American reclinam 180 graus (full flat seat) e viram uma cama na hora de dormir. Eu gostaria que elas fossem um pouco mais largas
A mesinha para serviço de bordo e trabalho ficou mais espaçosa. À esquerda, os novos comandos eletrônicos da poltrona
Console com tomada para carregar equipamentos, além de apoio para copos e celulares
O sistema de entretenimento não sofreu mudança. Continuam usando o velho Samsung. Senti falta do Air Show, mapa que mostra em tempo real informações sobre o voo
Os bons e velhos fones da Bose bloqueiam tão bem o ruído, que dá vontade de dormir com eles
A necessaire da business class da American Airlines não sofreu nenhuma mudança
Acessórios incluídos na necessaire: meias e tapa olho, kit hidratante, caneta, escova e pasta de dente, lenços de papel e plug antirruído
Champanhe de boas vindas a bordo. O braço para apoio de copos ficou bem maior e virou praticamente uma mesa lateral. O serviço de champanhe no embarque ainda é efetuado em copos de plástico. Vidros somente após a decolagem
Serviço de aperitivo antes do jantar: opções de vinhos e castanhas mornas para acompanhar
Serviço de entrada. Bege e preto são as novas cores do jogo americano e dos panos de bandeja
Prato principal: apesar da bela foto, a carne deixou a desejar e foi largada pela metade
Serviço de café da manhã: a opção de cereais e frutas ficou abaixo das minhas expectativas
A carta de vinhos da American Airlines
O menu da classe executiva do voo Campinas–Nova York
First class lounge da American Airlines no aeroporto JFK, em Nova York, onde fiz conexão. Portadores de cartão Executive Platinum da AA ou Emerald das cias. integrantes da One World podem usar o lounge durante conexões. Passageiros em executiva têm acesso ao lounge business que fica logo ao lado.
Serviço de bufê: pratos quentes, frios e open bar
Frutas frescas e muito mais saborosas que as servidas a bordo do avião
Banheiro privativo com ducha (também disponíveis na classe executiva). Nada melhor que um ótimo banho antes de embarcar no próximo voo

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *