Por dentro de São Petersburgo

São Petersburgo, ou cidade de Pedro, o Grande, é disparada a mais linda dentre todas as cidades da Rússia.

Ela já mudou de nome três vezes e, por anos, foi chamada de Leningrado, em homenagem a Lenin, sob o poder dos comunistas soviéticos.

É também conhecida como a Veneza russa, já que é cercada de água por todos os lados, do Estreito da Finlândia ao Rio Neva, com mais de 500 pontes.

Suas construções são palacianas, imponentes, majestosas. Suas avenidas largas deixam claro para seus visitantes o quanto a jovem São Petersburgo, com pouco mais de 300 anos, foi e é poderosa.

 

E aí… Como é que é lá?

  • A temperatura mais alta que a cidade já registrou foi de 31 graus durante um verão. Portanto, nem sonhar em visitá-la no inverno, quando as temperaturas podem chegar a 40 graus negativos.
  • Só saia do hotel com guarda-chuva, pois a qualquer momento pode garoar ou chover de verdade.
  • Caminhar é tranquilo e São Petersburgo é um convite a um bom passeio a qualquer hora do dia. Portanto, use as pernas.
  • O metrô é lindo e facílimo. Não é uma cidade complicada.
  • As décadas de regime comunista baniram a maioria das matérias-primas da cozinha. Assim, os pratos típicos ficaram limitados: batata, batata e batata. Não espere grandes novidades.
  • Beef stroganoff, nham nham nham! Foi inventado no palácio do nobre Stroganoff para servir um jantar às pressas. O resultado agradou tanto que esse clássico do nosso dia a dia foi batizado em homenagem ao anfitrião. Delicie-se em São Petersburgo com o stroganoff original. Não peça arroz, apenas purê de batata. É assim que o prato deve ser degustado.
  • Pelmeni é um prato típico também. São raviolis recheados, na maioria das vezes, com carne e servidos com creme à parte. Experimente. Simples e gostoso.
O prato típico pelmeni
  • Frango a Kiev vem da Ucrânia, mas, como durante os anos de URSS era tudo uma coisa só, esse prato tão conhecido por todos nós faz parte de muitos cardápios. Peito de frango empanado e recheado com manteiga de ervas. Não espere presunto ou catupiry. Isso é invenção brasileira.
  • Nem todo mundo fala inglês, mas, ainda assim, fala-se bem mais que no Brasil.

 

Dicas de São Petersburgo, depois me conta como foi…

  • Agende um guia local para cuidar das suas visitas. Esse serviço vale cada centavo nessa cidade. Além de planejar os horários de visita nos museus, eles ajudam o visitante a escapar das filas causadas pelos grandes grupos, que, na maioria das vezes, chegam em navio.
  • Existem ingressos vip em alguns museus, o que pode custar cerca de 6.000 rublos, ou algo em torno de 100 dólares. Topa? Então, combine com seu guia.
  • O prédio do museu Hermitage aparece aqui no topo desse post. O lugar é impressionante. Basta dizer que o diretor do Hermitage é mais importante do que o ministro da Cultura na Rússia, dada a relevância do acervo do museu. Ele não é o número 1 entre os museus do mundo, mas também não é o número 2. Composto por cinco palácios, o Hermitage é hors concours! Seriam necessários oito anos visitando o museu diariamente para ver todas as suas peças por 30 segundos cada uma. Dedique o máximo de tempo que puder. Reserve a sala das jóias com pelo menos um mês de antecedência para ter acesso a esse magnífico tesouro. Seu guia poderá providenciar isso para você.
  • Peterhof e seus magníficos jardins com fontes inspiradas em Versalhes são obrigatórios. Como a Rússia não tinha tecnologia para fazer jorrar água na época, o engenheiro responsável usou nascentes de uma colina e a pressão natural das águas para abastecer os jatos d’água. Ainda hoje, a água é pura e vem da nascente. Veja também as fontes-surpresas nos jardins e cuidado para não tomar um banho inesperado. São pegadinhas criadas por Pedro, o Grande, para brincar com seus visitantes.
As fontes de Peterhof
Detalhes do Palácio Peterhof
  • Tente ir e voltar de Peterhof de hidrofólio, barcos de alta velocidade. Embarque na frente do Hermitage. São apenas 35 minutos até lá. Você ainda escapa do trânsito. De carro, o trajeto leva no mínimo 50 minutos.
  • Palácio de Catarina. Essa residência de verão começou a ser construída em 1717, a mando de Catarina I, mulher de Pedro, o Grande. A Sala Âmbar é magnífica. Festas nababescas e muita farra aconteceram por ali. O palácio passou por modificações e ampliações comandadas pelas sucessoras da imperatriz Catarina.
O Palácio de Catarina
  • A Nevsky Prospect é a avenida principal de São Petersburgo. Bata perna para lá e para cá.
  • Um prédio que pertenceu aos proprietários das máquinas de costura Singer hoje abriga uma das mais belas livrarias da cidade nessa avenida. O atual proprietário é um bilionário russo que fundou uma espécie de Facebook local. Seu escritório fica localizado no último andar.
Entrada do prédio onde ficava a sede da Singer
  • Nessa mesma avenida, pare para conhecer a Eliseevsky, uma confeitaria com delicatessen e dois restaurantes num dos prédios mais bonitos da rua. Foi reinaugurada em 2012 após grande restauração. Tudo lindo e delicioso! Experimente um cappuccino e uma sobremesa no restaurante do segundo andar. Talheres de ouro como nos temos dos czares. Um luxo!
A mesa posta com os talheres de ouro da Eliseevsky
  • Fiz um vídeo na Eliseevsky de São Petersburgo, confira a seguir e aproveite para se inscrever no canal Carioca NoMundo, no YouTube.

 

 

  • Os monumentos na Rússia são as igrejas e as catedrais. As três mais importantes de São Petersburgo são: Pedro e Paulo, Santo Isaac e Salvador sobre o Sangue Derramado. Todas visitas obrigatórias.
A igreja do Salvador sobre o Sangue Derramado
  • O Palácio Yusupov é um belíssimo museu às margens do Rio Moika. Alugue o áudio-guia e bom passeio!
  • Faça um passeio de barco privado para ter uma visão diferente da cidade. Fuja dos grandes barcos de grupos, onde os guias ficam dando explicações e coordenadas apenas em russo pelo microfone.
  • O metrô em São Petersburgo não é apenas um meio de transporte, mas também um passeio turístico. As estações foram ricamente decoradas pelos soviéticos. Uma forma de tapear o povo dizendo que tinham direito ao luxo, sim. Admiralteyskaya é a mais profunda estação do mundo: 105 metros abaixo da terra. Você verá na base de cada escada rolante uma cabine com um guarda sentado. O serviço deles é simplesmente apertar o botão caso a escada pare. Dinâmico assim…
A estação de metrô de Admiralteyskaya, a 105 metros de profundidade
  • À 1h30 da manhã as pontes suspensas se abrem. Vá até as margens do Neva e prepare sua câmera.
  • Onde comprar souvenires? De âmbar a matrioskas, aquelas bonecas de encaixe russas, você encontra de tudo na Beluga Deluxe. Até mesmo chapéu de russo e roupas típicas para você se divertir no carnaval brasileiro, quem sabe?
  • Mansarda Restaurant: linda adega de vidro e terraço com vista para a Catedral de Santo Isaac. Uau! Comida, serviço e drinques excelentes. Ficou como o meu predileto na visita à cidade.
  • Quando visitar o Palácio de Catarina, na volta, pare para almoçar no Podvorye. É turístico? É, sim! Mas, afinal, você é turista, né? Essa é uma verdadeira casa russa, toda em madeira. O stroganoff é ótimo! Oba!
O restaurante Podvorye
  • Deleite-se com a mais sofisticada iguaria russa no Caviar Bar and Restaurant, dentro do Grand Hotel Europe, by Belmond, antiga Orient Express. Esse restaurante oferece um belo carrinho de caviar e ainda um sommelier de vodca. Um luxo! Tire o paletó do armário para ir lá, pois jacket is required.
O Caviar Bar and Restaurant
  • Experimente jantar no Crocodile e sinta-se de volta aos tempos da antiga URSS. Simples e simpático. Mais parece um lugar onde artistas se encontravam para confabular nas épocas do comunismo.
  • Mari Vanna. Nesse restaurante russo, não espere uma linda loura na porta para recebê-lo. Na entrada, um senhor meio mal ajambrado usando pantufas abrirá a porta para você entrar. Isso é só para você entrar no clima. Lá dentro, mais parece que você está na casa da vovó. Um charme! O sucesso do Mari Vanna já fez ele abrir filiais em Nova York e Londres. Confira, a seguir, o vídeo da minha passagem por lá.

 

 

  • Terrassa. Desfrute um almoço no terraço com vista desse restaurante. Não se preocupe com o frio: além de aquecedores a gás, mantas estão à sua disposição em cada sofá. Por sinal, que sofás confortáveis!
  • RibEye – Muuuuuuhhh… Você quase ouve a vaca mugir, logo na entrada dessa belíssima e badalada steak house. Provavelmente, a melhor da cidade. Depois de degustar um ”muuuhhh” no seu prato, você fará um “uauuuuu” com a decoração e o ambiente. Espetaculares! Dê uma olhada no sushi bar anexo e seus belos aquários flutuando sobre a bancada. Um charme.
O sushibar do RibEye, com seus aquários suspensos
  • Onde ficar? O W St. Petersburg é o seu hotel! Jovem, descolado, divertido! E, mesmo não ficando nele, em um dia sem chuva, vá ao bar do rooftop e tome vodcas admirando a cúpula da Catedral de Santo Isaac.
Rooftop Bar do W Hotel com vista para a Catedral de Santo Isaac
  • Fiz um vídeo no W St. Petersburg que mostra bem o espírito contemporâneo desse hotel. Veja a seguir e aproveite para se inscrever no canal Carioca NoMundo, no YouTube.

 

 

  • Da próxima vez que eu for a São Petersburgo, quero ficar no Four Seasons, que consumiu seis anos de obras e restauração para ser instalado no belíssimo Lions Palace.
  • Está com tempo de sobra? Fique uma semana e visite o máximo que puder…
  • Tsum. Após décadas fechada, a mais luxuosa loja de departamentos de São Petersburgo reabriu suas portas. Tem personal shopper e tudo mais. Visite e, se estiver com dinheiro para gastar, invista.
Tsum, loja de departamentos de luxo
  • De São Petersburgo a Moscou, você faz em uma hora e 20 minutos de avião ou quatro horas de trem bala. Você decide. Mas lembre-se que o trânsito em Moscou é um horror e, de trem, você chega mais rápido ao centro.

 

Fuja das roubadas…

  • Nunca saia para bater perna sem guarda-chuva, o tempo pode virar a qualquer momento.
  • Agende todos os museus com antecedência, caso você não opte por um guia.
  • Passeio de barco em grupo. Guias dão informações em russo pelo microfone. Um tormento para os ouvidos durante duas horas. Vá de barco privado.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *