Trip report: o B787-9 Dreamliner da KLM, do Rio a Amsterdã

Excelente notícia para os cariocas. Há algumas semanas, todos os voos diários da KLM (site aqui) entre o Rio de Janeiro e Amsterdã passaram a ser operados exclusivamente pelo 787-9 Dreamliner, a moderna e super silenciosa aeronave da Boeing. O Carioca NoMundo foi convidado pelo grupo Air France/KLM para experimentar o B787-9 Dreamliner da KLM, voando entre o Rio e Amsterdã. A seguir, o trip report do nosso editor-chefe, o jornalista Marcelo Camacho.

 

VOANDO NO B787-9 DREAMLINER DA KLM, DO RIO PARA AMSTERDÃ

 

COMPANHIA AÉREA: KLM ROYAL DUTCH AIRWAYS

VOO: KL0706

AERONAVE: Boeing 787-9 Dreamliner

NOME: Todos os 787-9 da KLM são batizados com nomes de flores. Viajei no avião Lavendel, que significa lavanda, em holandês

ASSENTO: 2A (World Business Class)

ROTA: Do Rio de Janeiro (GIG) para Amsterdã (AMS)

DATA: 26 de novembro de 2018

SAÍDA (prevista): 21h50

CHEGADA (prevista): 12h15

DURAÇÃO DO VOO (prevista): Onze horas e 25 minutos

 

A CABINE DO B787-9 DREAMLINER DA KLM

A classe executiva do B787-9 Dreamliner da KLM, por Carioca NoMundo
Visão geral da classe executiva do B787-9 Dreamliner da KLM, com uma poltrona em cada janela e duas no centro da aeronave

A cabine da World Business Class do B787-9 Dreamliner da KLM tem 30 assentos numa configuração 1-2-1. A exceção fica por conta da fileira 1, na qual só existem as poltronas da janela — o assento 1A fica no lado esquerdo da aeronave e o 1K, no lado direito.

Todas as poltronas têm acesso direto ao corredor, sem que um passageiro precise importunar o outro caso queira se levantar.

A classe executiva do B787-9 Dreamliner da KLM, por Carioca NoMundo
Devido ao ângulo das poltronas, quem viaja na janela, praticamente não precisa olhar para quem está ao seu redor

O design da cabine da executiva posiciona as poltronas em uma inclinação lateral. Isso faz com que os passageiros do corredor e da janela sentem-se quase de costas uns para os outros, garantindo mais privacidade durante o voo.

Já os dois passageiros que estão no centro ganham uma boa distância entre si. Inclusive, se você estiver viajando acompanhado, precisará desgrudar as costas da poltrona para ver o rosto do seu acompanhante.

Se estiver sozinho, a sensação de privacidade aumenta quando se levanta a divisória que separa os dois assentos do meio.

A classe executiva do B787-9 Dreamliner da KLM, por Carioca NoMundo
Repare que os dois passageiros que viajam no centro também ganham uma boa distância entre si

A título de curiosidade, o B787-9 Dreamliner da KLM possui 48 poltronas Economy Comfort, que, segundo a companhia, oferecem 40% a mais de espaço para as pernas. Na classe Economy, são 216 assentos, que reclinam 40% a mais em relação a outras aeronaves.

 

O MEU ASSENTO NO B787-9 DREAMLINER DA KLM

A classe executiva do B787-9 Dreamliner da KLM, por Carioca NoMundo
A poltrona 2A, na janela, do lado esquerdo, na classe executiva do B787-9 Dreamliner da KLM

Para este voo Rio-Amsterdã, fiz o check-in online na véspera da viagem. Ainda havia um número razoável de assentos para escolher. Preferi o 2A, na janela, do lado esquerdo.

Gosto de me sentar na frente do avião para pegar o serviço de bordo ainda bem no início, sem que os comissários já tenham tido que lidar com as demandas dos outros passageiros. Geralmente, estão mais simpáticos e receptivos.

Fora que, dificilmente, você correrá o risco de algum prato ou bebida já ter acabado na hora em que você for servido.

A classe executiva do B787-9 Dreamliner da KLM, por Carioca NoMundo
Outro ângulo do assento 2A, com a visão da TV de 16 polegadas e o descanso para os pés

A inclinação da poltrona 2A é para a esquerda, na direção da janela. Como eu disse antes, isso faz com que você viaje quase de costas para o passageiro que está ao seu lado, no assento do outro lado do corredor.

Inclusive, você precisaria desgrudar as costas do seu encosto e girar o pescoço — e o outro passageiro também — para que ambos pudessem se ver.

A classe executiva do B787-9 Dreamliner da KLM, por Carioca NoMundo
O nicho onde o encosto se encaixa é revestido com um material emborrachado azul: bonito e moderno

Os acabamentos são em tons de marrom e azul, tudo de muito bom gosto e com cara de novo. O encosto do assento vem envolto numa estrutura revestida de um material emborrachado, que achei achei bem moderno.

A classe executiva do B787-9 Dreamliner da KLM, por Carioca NoMundo
A largura do assento é de 51 cm, espaço que pode ser “roubado” pelo cinto de segurança caso ele não esteja devidamente afivelado

Com uma trena, medi a largura do assento. Deu 51 centímetros. É óbvio que se trata de um excelente espaço.

Porém, repare, na foto acima, que uma das faixas do cinto de segurança é bem espessa — tem 8 centímetros de largura.

Portanto, se você não estiver com o cinto afivelado, perderá espaço do seu assento. O único problema é que o cinto é bem pesado e causa um certo incômodo quando está afivelado.

A classe executiva do B787-9 Dreamliner da KLM, por Carioca NoMundo
O assento da executiva da KLM com o descanso para o braço levantado

O conforto da poltrona se completa com o acionamento do descanso para o braço, à direita. É só apertar o botão azul que ele levanta.

Por questões de segurança, esse descanso deve ficar abaixado durante a decolagem e o pouso.

Porém, na chegada em Amsterdã, vi que vários passageiros não se lembraram de recolher esta peça na hora da aterrissagem.

 

 

EXPLORANDO AS FACILIDADES DA POLTRONA DA EXECUTIVA DO B787-9 DREAMLINER DA KLM

A classe executiva do B787-9 Dreamliner da KLM, por Carioca NoMundo
A tela da TV ainda recolhida: para destacá-la basta apertar o botão azul inferior. O botão de cima é um cabide

Primeiro, vou falar sobre a tela da TV. Quando você chega ao seu assento, o monitor está recolhido. Para soltá-lo, basta pressionar o botão azul inferior. Há o desenho de uma tela junto a ele e a palavra “release” (soltar).

Isso porque, no topo, há um outro botão azul, mas este é um cabine, que, na verdade, é meio inútil, já que os comissários se oferecem para guardar seu casaco num armário quando você chega.

Fora que este não seria o melhor lugar para um blazer, por exemplo, ficar pendurado. Pode ser uma boa solução na classe econômica, mas na executiva não funciona.

A classe executiva do B787-9 Dreamliner da KLM, por Carioca NoMundo
Quando a tela é liberada, ela quase acerta os copos que estão no console, mas não há risco disso acontecer

Ao apertar o tal botão azul, a tela vem na sua direção — e ela vem rápido.

Por um instante, achei que ela ia acertar os copos de champanhe e suco de laranja (sim, no Carioca NoMundo, todos bebemos mimosa), provocando um acidente.

Mas o monitor passou rente, não havia como derrubar os copos. Quem projetou isso, certamente, pensou neste tipo de situação.

A classe executiva do B787-9 Dreamliner da KLM, por Carioca NoMundo
A tela tem regulagens para cima e para baixo, facilitando o ângulo de visão, de acordo com a posição do passageiro

O monitor é bastante versátil, com regulagem de ângulos para cima e para baixo. A posição da foto acima é ideal para quando o passageiro já está deitado e quer continuar a assistir TV antes de dormir.

A classe executiva do B787-9 Dreamliner da KLM, por Carioca NoMundo
A título de curiosidade, aqui está o cabide, junto ao monitor, que, na minha opinião, não é de grande serventia

A tela da executiva do B787-9 Dreamliner da KLM tem 16 polegadas (na econômica, são 11 polegadas) com comandos sensíveis ao toque. E a imagem é maravilhosa.

A navegação é bem fácil e intuitiva. Vou falar mais à frente sobre isso, quando explicar o que tem no entretenimento de bordo.

 

A classe executiva do B787-9 Dreamliner da KLM, por Carioca NoMundo
O porta-trecos tem um espelho na porta. Do lado de fora, as conexões para fones de ouvido e o controle remoto da tela da TV

No console, à esquerda do assento, há um porta-trecos, onde fica armazenado o fone de ouvido. É nele que você poderá guardar objetos como carteira, celular, etc, durante o voo.

Na foto acima, a porta está aberta e dá para ver que há, ainda, um espelho. Bem prático!

Do lado de fora, ficam os plugs para fones de ouvido e o controle remoto da TV. Sim, mesmo ela sendo touchscreen, você também pode acioná-la por este equipamento de mão.

Ele também serve como uma tela independente. Por exemplo, se você estiver vendo um filme na tela principal e quiser consultar o tempo de voo, poderá fazer isso na tela menor, sem precisar interromper a projeção.

A classe executiva do B787-9 Dreamliner da KLM, por Carioca NoMundo
O fone de ouvido com redução de ruídos externos da KLM

Os fones de ouvido com redução de ruídos da executiva do B787-9 Dreamliner da KLM levam a marca da própria KLM.

Eles têm aquele pino triplo que só serve para ser usado no próprio avião. E vem escrito no fone: “Propriedade da KLM”.

Portanto, nem pense em levá-lo para casa. Se preferir usar o seu próprio fone de ouvido, também há um plug simples pare ele.

A classe executiva do B787-9 Dreamliner da KLM, por Carioca NoMundo
Iluminação individual com acionamento bastante intuitivo na lateral do assento

O uso da luz de leitura individual é bem simples e intuitivo. Basta apertar este círculo prateado da foto que a luz já sai acesa do nicho em que está escondida.

Ela não ilumina muito. Para ler um livro, por exemplo, é fraca. Mas é a luz ideal para quem quer enxergar algo melhor durante a noite sem incomodar os vizinhos de poltrona.

A classe executiva do B787-9 Dreamliner da KLM, por Carioca NoMundo
A luz de leitura tradicional fica no teto e é bem mais forte que a outra

Já a luz de leitura tradicional, que fica no teto, é bem intensa. Mas é aquele tipo de iluminação que atrapalha bastante quem está ao seu redor tentando dormir. Não seja essa pessoa!

A classe executiva do B787-9 Dreamliner da KLM, por Carioca NoMundo
A tomada e a entrada USB ficam meio escondidas, mas há uma sinalização mostrando sua localização

O assento também traz tomadas com encaixe universal e uma entrada para cabos USB.

Estes recursos ficam meio escondidos, na lateral da poltrona, abaixo do console, junto à janela. Tanto que existe uma sinalização para que seja mais fácil encontrá-los.

Pela distância, aconselho levar um carregador com o fio longo se quiser manusear o celular enquanto ele está sendo carregado.

Ah, e um lembrete. Como na maioria dos voos, por questões de segurança, na KLM também não é permitido manter aparelhos ligados na tomada durante a decolagem e o pouso.

A classe executiva do B787-9 Dreamliner da KLM, por Carioca NoMundo
O saquinho de papel para emergências com a estampa de uma casinha de porcelana tipicamente holandesa

Na bolsa de revistas, havia os títulos “Holland Herald”, “Sky High Collection” (um guia de compras a bordo), o cartão com instruções de segurança e também aquele tradicional saquinho de papel  para o caso de alguém passar mal e precisar vomitar subitamente.

Só que este saquinho era uma graça, com a estampa de uma casinha de porcelana tipicamente holandesa. Confesso que trouxe o meu para casa.

A classe executiva do B787-9 Dreamliner da KLM, por Carioca NoMundo
O descanso para os pés, revestido de couro marrom, da executiva do B787-9 Dreamliner da KLM

O descanso para os pés da executiva do B787-9 Dreamliner da KLM é bastante espaçoso. Consiste em uma plataforma revestida de couro marrom, que, mais tarde, quando a poltrona for reclinada a 180 graus, complementará o espaço da full flat bed.

Não é permitido guardar nada embaixo do descanso para os pés. Há, inclusive, uma indicação “no storage” (não armazenar) no canto direito.

Até tentei ver se minha mochila cabia ali embaixo, mas ela não entrou. Ou seja, não é para usar mesmo.

A classe executiva do B787-9 Dreamliner da KLM, por Carioca NoMundo
Ainda de sapatos, testei o espaço para os pés — e o pé da direita não ficou confortável. Mas também eu calço 43!

Ainda usando meus sapatos, testei a altura do descanso para os pés, e o meu pé direito não coube completamente no espaço. Note, na foto acima, a dobra no sapato.

Mas isso não importa, porque ninguém viaja de sapato mesmo, né? E só para quem estiver curioso, eu calço 43.

A classe executiva do B787-9 Dreamliner da KLM, por Carioca NoMundo
Agora, sim! Conforto total para seguir viagem até Amsterdã na executiva do B787-9 Dreamliner da KLM!

A seguir os controles de reclinação da poltrona. Na verdade, são bem básicos. Há a posição com a cama a 180 graus. Ao apertá-lo, você pode ir parando no meio até encontrar uma posição confortável, para, por exemplo, assistir a um filme.

Há também os controles para chegar o assento mais para a frente (bom para a hora do jantar) e o botão reverso, para voltar à posição original.

Por fim, há o controle da posição ereta, que deve ser usada na hora da aterrissagem.

A classe executiva do B787-9 Dreamliner da KLM, por Carioca NoMundo
Os botões de controle das posições da poltrona da executiva da KLM

Para dormir, o ideal é reclinar a cama a 180 graus, claro. Eu, que tenho 1,82 metro de altura, tive bastante espaço para dormir com conforto por umas três ou quatro horas. Não consigo dormir muito mais que isso em um avião. Afinal, há tanta coisa para fazer!

A classe executiva do B787-9 Dreamliner da KLM, por Carioca NoMundo
A cama pronta para uma soneca, com travesseiro e edredom

Para terminar de falar sobre as características gerais do assento da executiva do B787-9 Dreamliner da KLM, vou avançar a ordem das fotos para a manhã do dia seguinte e, assim, mostrar as janelas para vocês.

A classe executiva do B787-9 Dreamliner da KLM, por Carioca NoMundo
As janelas ainda escuras, às 11h da manhã, graças ao sistema eletrônico que controla a entrada de luz

Às 11h da manhã, faltando pouco mais de uma hora para a chegada em Amsterdã, tirei estas fotos da janela.

Não há persianas. Apenas um sistema eletrônico que escurece ou clareia as janelas. Na foto acima, apesar do dia já claro lá fora, dá para ver que entra bem pouca luminosidade.

A classe executiva do B787-9 Dreamliner da KLM, por Carioca NoMundo
A comparação de uma janela “aberta” com as outras, na frente, ainda “fechadas”

Na foto acima, a minha janela já permite a entrada total de luz, enquanto as duas janelas do passageiro da frente ainda estão “fechadas”. A diferença é bastante evidente, né?

Vale ressaltar que as janelas do B787-9 Dreamliner da KLM são maiores do que as que normalmente vemos em outras aeronaves. Segundo a companhia, são 30% maiores que as normais.

Sim, usei minha trena para medi-las também. Deu 43 centímetros de altura por 28 centímetros de largura.

A classe executiva do B787-9 Dreamliner da KLM, por Carioca NoMundo
Uma visão da cabine de manhã, com a maioria das janelas “abertas” e apenas duas, ao fundo, “fechadas”

 

TODAS AS ETAPAS DO SERVIÇO DE BORDO DA KLM

A classe executiva do B787-9 Dreamliner da KLM, por Carioca NoMundo
Para começar, champanhe e suco de laranja para uma tradicional mimosa do Carioca NoMundo

Logo na chegada, após o embarque, bebidas foram oferecidas. Champanhe, suco de laranja e água sem gás.

Optei por uma taça de champanhe Nicolas Feuillatte Brut Réserve e por um suco de laranja para preparar, eu mesmo, a tradicional mimosa do Carioca NoMundo.

As duas bebidas foram servidas em lindos copos de cristal trabalhados.

A classe executiva do B787-9 Dreamliner da KLM, por Carioca NoMundo
Jornais da Holanda, da Espanha e dos Estados Unidos, mas nenhum brasileiro

Na sequência, foi trazida a nécessaire (daqui a pouco, eu mostro) e uma variedade de jornais estrangeiros, como o espanhol “El País” e o americano “USA Today”. Não havia nenhum jornal brasileiro.

Quinze minutos após a decolagem, o serviço de bordo começou com uma toalhinha quente perfumada e a entrega dos cardápios.

Depois, uma comissária perguntou que drinque de boas-vindas eu gostaria de beber. Escolhi o signature cocktail da KLM, o Flying Dutchman, que leva gim, licor, xarope de açúcar e limão. Bem gostoso!

A classe executiva do B787-9 Dreamliner da KLM, por Carioca NoMundo
O drinque Flying Dutchman e um bowl de porcelana com um mix de amêndoas e castanhas salgadas

Em seguida, a chefe de cabine veio ao meu assento, me chamou pelo nome, perguntou se estava tudo bem e anotou o meu pedido para o jantar.

Vale destacar que toda a tripulação foi extremamente simpática a atenciosa em todas as etapas do voo, exatamente como a gente espera que seja numa classe executiva. Nota 10 para a KLM!

A classe executiva do B787-9 Dreamliner da KLM, por Carioca NoMundo
A capa do cardápio tem motivos clássicos, sem deixar de ser também moderna

O cardápio da KLM, nos voos para o Brasil (tanto Rio de Janeiro quanto São Paulo), é assinado pelo chef Rodrigo Oliveira, do restaurante Mocotó, em São Paulo. E não é só na classe executiva, não. O cardápio da econômica também é dele. Legal, né?

A comida, portanto, tem um toque brasileiro, com ingredientes como carne seca, abóbora e acerola.

A classe executiva do B787-9 Dreamliner da KLM, por Carioca NoMundo
Na primeira página do cardápio, o chef brasileiro Rodrigo Oliveira é apresentado apenas em textos em holandês e em inglês

Logo na primeira página do cardápio, Rodrigo Oliveira é apresentado em textos em holandês e em inglês. Mas não há uma descrição sua em português.

Nas páginas seguintes, as etapas do serviço de bordo — o jantar e o café da manhã — são apresentadas em holandês, depois, em inglês, e, por fim, em português.

A última etapa do cardápio, a das bebidas, tem apenas sua versão em inglês. Confira as imagens.

A classe executiva do B787-9 Dreamliner da KLM, por Carioca NoMundo
As páginas do cardápio, em português, com as opções do jantar e do café da manhã
A classe executiva do B787-9 Dreamliner da KLM, por Carioca NoMundo
A página das bebidas, apenas em inglês, com opções de cervejas, destilados e bebidas não-alcóolicas

Quando você fecha o cardápio e o vira de costas, dá para ver, em destaque, no alto, a data da viagem, a rota e o número do voo.

Foi um detalhe que quase me passou despercebido. Talvez, essas informações devessem vir na capa do cardápio e não no seu verso, não? Se alguém souber a razão, por favor, deixe aqui nos comentários do blog.

A classe executiva do B787-9 Dreamliner da KLM, por Carioca NoMundo
O verso do cardápio com as informações sobre o voo

Cerca de 40 minutos após a chegada do drinque de boas-vindas e das castanhas, o jantar começou a ser servido — e só então o copo do drinque e o bowl das castanhas vazios foram retirados.

De entrada, pedi carne seca com abacate temperado e farofa de pipoca. Confesso que não senti nem o sabor do abacate, nem o da pipoca… Mas estava tudo bem gostoso!

A entrada foi servida com uma salada e também com um potinho com azeite. Imagino que fosse para passar o pão — que não me foi oferecido…

Para beber, pedi um vinho branco chardonnay Enate, espanhol, que estava ótimo.

Aqui, preciso destacar a beleza dos talheres, das louças e dos copos da executiva da KLM, todos criados pelo designer holandês Marcel Wanders.

Até a bandeja de plástico e o tecido sintético que a cobre foram desenhados por ele. Parabéns!

A classe executiva do B787-9 Dreamliner da KLM, por Carioca NoMundo
O conjunto de saleiro e pimenteiro em formato de tamancos holandeses

Outro item que merece destaque é o conjunto de saleiro e pimenteiro vermelho, em formato de tamancos holandeses. Quanta criatividade!

Como prato principal, optei pelo frango grelhado com risoto de codorna e cenoura baby glaceada.

A classe executiva do B787-9 Dreamliner da KLM, por Carioca NoMundo
O prato principal foi um frango com risoto de codorna, que estava muito apimentado

O prato, quentíssimo, veio apoiado sobre uma outra bandeja de louça, com uma alça, que foi por onde a comissária o segurou. Engenhoso!

O frango — enorme! — estava bom, mas achei o risoto gorduroso e muito apimentado.

Como dá para ver na foto acima, desta vez pedi um pãozinho para acompanhar. O vinho foi o pinot noir Villa Wolf, alemão. Excelente!

A classe executiva do B787-9 Dreamliner da KLM, por Carioca NoMundo
Os queijos, a sobremesa e o licor Baileys com gelo para finalizar

Na hora da sobremesa, pedi não só o prato com queijo gruyère e camembert, como também a mousse de coco e castanhas de caju.

Veio apenas uma fatia de cada queijo, uma frustração para um cheese lover como eu. Para acompanhar, um licor Baileys Irish Cream com gelo.

A classe executiva do B787-9 Dreamliner da KLM, por Carioca NoMundo

A classe executiva do B787-9 Dreamliner da KLM, por Carioca NoMundo
No fim, chá ou café, e chocolates belgas feitos especialmente para a KLM

Mas ainda faltava uma última etapa, a do café ou chá com chocolate belga feito especialmente para a KLM.

Esses chocolates vieram numa caixinha linda, em formato de casinha e em diferentes sabores.

Escolhi o branco, o meu favorito. Estava gelado e, portanto, meio duro, mas era muito saboroso.

A classe executiva do B787-9 Dreamliner da KLM, por Carioca NoMundo
Snacks e água para serem consumidos durante a madrugada

Mal a louça da sobremesa foi recolhida, as comissárias já montaram, em um aparador na frente da cabine da executiva, um cantinho com pacotes de batata frita e biscoitos doces, além de garrafinhas d’água para serem consumidos durante a madrugada por quem tivesse fome. Só posso dizer que a batata frita estava bem crocante!

A classe executiva do B787-9 Dreamliner da KLM, por Carioca NoMundo

A classe executiva do B787-9 Dreamliner da KLM, por Carioca NoMundo

A classe executiva do B787-9 Dreamliner da KLM, por Carioca NoMundo
As opções de vinhos na executiva da KLM, a bordo do B787-9 Dreamliner

Nas fotos, acima, dá para ver as páginas do cardápio de vinhos da executiva do B787-9 Dreamliner da KLM, entre o Rio de Janeiro e Amsterdã.

Há, além dos já mencionados, rótulos do Chile, da França e da África do Sul.

Aliás, após o jantar, bebi um copo do cabernet sauvignon shiraz Steenberg Stately, sul-africano, que foi o meu favorito na noite.

A classe executiva do B787-9 Dreamliner da KLM, por Carioca NoMundo
O café da manhã, com o omelete no canto esquerdo da foto

Para que este tópico sobre o serviço de bordo fique completo, vou adiantar e já mostrar o café da manhã, que foi servido por volta das 11h da manhã, já no horário local da Holanda — ainda eram 8h da manhã no Brasil.

Escolhi o omelete com queijo cottage, espinafre sauté, milho e tomate cereja. Ele veio acompanhado de croissant, geléia de morango, manteiga, salada de frutas, queijos e goiabada.

Bebi um suco de laranja porque não gosto de café — e champanhe de manhã seria um pouquinho fora de propósito (mas estava no cardápio!).

Achei tudo ótimo, à exceção da manga da salada de frutas, que estava verde.

 

A NÉCESSAIRE DA CLASSE EXECUTIVA DA KLM

A classe executiva do B787-9 Dreamliner da KLM, por Carioca NoMundo
As nécessaires masculina e feminina assinadas pelo estilista holandês Jan Taminiau

Ainda com o avião em solo, no Rio de Janeiro, foram distribuídas aos passageiros da World Business Class as nécessaires.

Havia uma azul para os homens e uma vermelha, com outro design, para as mulheres. Pedi à comissária para fotografar as duas, mas fiquei só com a versão masculina.

As nécessaires da KLM são assinadas, já há algum tempo, pelo estilista holandês Jan Taminiau — e o design das pequenas bolsas sempre muda.

Atualmente, a masculina é uma espécie de capanga em um tecido que lembra um brim.

A classe executiva do B787-9 Dreamliner da KLM, por Carioca NoMundo
No interior, vem pasta e escova de dente, creme para o rosto e uma linda meia, entre outras coisas

E o que vem dentro? Caneta, escova e pasta de dente, máscara para dormir e protetor para os ouvidos. Tem, ainda, protetor labial e creme facial da marca Rituals, além de uma meia bem bonita, que não tem sola antiderrapante, então, dá para usar no dia a dia.

 

O BANHEIRO DA EXECUTIVA DO B787-9 DREAMLINER DA KLM

A classe executiva do B787-9 Dreamliner da KLM, por Carioca NoMundo
A bonita decoração do banheiro da executiva do B787-9 Dreamliner da KLM

Muitas vezes, o banheiro da classe executiva é igualzinho ao da classe econômica. Mas não no Dreamliner da KLM.

Aqui, ele é bem bonito, com um papel de parede que remete às casinhas de porcelana que reproduzem prédios típicos holandeses. Completa a decoração uma tulipa cor de laranja artificial.

Fora isso, há produtos como spray refrescante para o corpo e creme para as mãos da marca Rituals.

A classe executiva do B787-9 Dreamliner da KLM, por Carioca NoMundo
No banheiro, produtos para o corpo da marca Rituals

 

O ENTRETENIMENTO DE BORDO DA KLM

A classe executiva do B787-9 Dreamliner da KLM, por Carioca NoMundo

A classe executiva do B787-9 Dreamliner da KLM, por Carioca NoMundo
Imagens do vídeo com os avisos de segurança: animação feita com peças de porcelana pintadas à mão

O primeiro contato do passageiro com o sistema de entretenimento de bordo é por meio do vídeo com os avisos de segurança.

E o da KLM é um show! Em cartaz há alguns anos já, ele é uma animação feita com mais de mil peças de porcelana pintadas à mão, usando o mesmo princípio de um desenho animado, com os movimentos desenhados quadro a quadro.

A classe executiva do B787-9 Dreamliner da KLM, por Carioca NoMundo
Comissária sobre as peças de porcelana pintadas em sequência para o vídeo de segurança da KLM

No fim, uma comissária aparece sobre boa parte das peças de porcelana enfileiradas em sequência, no chão, revelando parte da técnica usada.

Todo o vídeo é falado em inglês, com legendas em holandês.

A classe executiva do B787-9 Dreamliner da KLM, por Carioca NoMundo
O cardápio do entretenimento de bordo, com filmes, programas de TV e até uma seção de compras

O cardápio do entretenimento de bordo da KLM traz filmes, programas de TV, música, videogames, programação infantil, informações sobre o voo e até um duty free.

A programação de filmes — são cerca de 200 — era bem eclética, com produções americanas, européias, de Bollywood e por aí vai. Assisti “Lady Bird”, que perdi quando esteve nos cinemas.

Em uma aba, dava para selecionar os filmes dublados em português — ou até mesmo brasileiros, como a comédia “Os Parças”.

A classe executiva do B787-9 Dreamliner da KLM, por Carioca NoMundo
O cardápio de novidades na seção de filmes da KLM
A classe executiva do B787-9 Dreamliner da KLM, por Carioca NoMundo
Uma seleção de filmes falados ou dublados em português
A classe executiva do B787-9 Dreamliner da KLM, por Carioca NoMundo
Exemplos de filmes indianos, no estilo Bollywood, no entretenimento de bordo da KLM
A classe executiva do B787-9 Dreamliner da KLM, por Carioca NoMundo
Na seção de compras, os perfumes femininos. Você escolhe o que quer, “finaliza” a compra e a comissária vem com os produtos e a máquina de cartão de crédito

Também havia Wi-Fi disponível à bordo. Eram três opções de pacotes, com duas formas de pagamento: via cartão de crédito ou com milhas.

Por 20 MB de navegação, o valor era de 5 euros ou 2 mil milhas. Para 50 MB, paga-se 10 euros ou 3.300 milhas. Por fim, para 200 MB de internet, o preço era 30 euros ou 10 mil milhas. Achei caro e preferi não contratar.

A classe executiva do B787-9 Dreamliner da KLM, por Carioca NoMundo
A tabela de preços de internet na KLM

 

AS CASINHAS DE PORCELANA DA EXECUTIVA DA KLM

A classe executiva do B787-9 Dreamliner da KLM, por Carioca NoMundo
Bem no fim do voo, chega a bandeja com as casinhas de porcelana da KLM

Todos os passageiros que viajam na World Business Class da KLM, recebem, ao fim do voo, uma casinha de porcelana contendo 35 ml de um destilado tipicamente holandês chamado genever.

É uma espécie de gim fabricado pela tradicional destilaria Bols, que existe desde 1575. (E, só para ficar claro, outras destilarias holandesas e belgas também fabricam o genever, não é só a Bols, não).

No meu voo, a comissária veio com as casinhas após o recolhimento da louça do café da manhã, pouco antes do pouso. Na bandeja, só havia um modelo de casa, portanto, não dava para escolher (às vezes, há uma seleção com casinhas mais antigas também).

A classe executiva do B787-9 Dreamliner da KLM, por Carioca NoMundo
O modelo atual reproduz uma antiga loja na cidade holandesa de Joure

A KLM dá essas casinhas de porcelana — hoje, são 800 mil por ano — aos clientes da classe executiva desde 1952. Era uma época em que regulamentações internacionais proibiam que as companhias aéreas dessem brindes aos seus clientes.

Foi quando a KLM bolou as casinhas com a bebida dentro. Não era um brinde — era um drinque! Lógico que, com os passar dos anos, as casinhas se tornaram disputados itens de colecionador.

Até 1994, elas eram produzidas aleatoriamente: vários modelos por ano ou vários anos com o mesmo modelo. Naquele ano, porém, quando a KLM completou 75 anos, quinze novos modelos foram adicionados, totalizando, assim, 75 tipos de casinhas.

Desde então, uma nova casinha é criada todo ano — sempre no mês de outubro, quando a companhia faz aniversário. A minha é a de número 99, pois a KLM acaba de completar 99 anos. O número vem impresso no verso da porcelana.

A classe executiva do B787-9 Dreamliner da KLM, por Carioca NoMundo
Todas as casinhas são numeradas: a atual leva o número 99 em referência aos 99 anos da KLM

Há um bom tempo já, todas as casinhas da KLM reproduzem um imóvel histórico da Holanda. E eles distribuem junto com o brinde um pequeno folheto explicando que prédio é aquele. O atual é a De Witte Os, uma antiga loja na cidade Joure, com 13 mil habitantes, no Norte do país.

Quando a comissária entrega o brinde, ela explica que é a mesma casinha do chocolate oferecido após o jantar!

E como se trata de um recipiente com bebida dentro, eles tomam a precaução de também distribuir sacolinhas transparentes para aqueles passageiros que forem fazer conexão. Com a garrafinha embalada, eles podem passar pela segurança do aeroporto sem problemas, afinal, são só 35 ml de líquido.

Vocês acham que eu abri a minha garrafinha para provar o tal do genever? Claro que não!

 

CONSIDERAÇÕES FINAIS SOBRE O VOO NA EXECUTIVA DO B787-9 DREAMLINER DA KLM

Por ser um avião moderno da Boeing, o 787-9 proporciona uma maior pressurização da cabine. O resultado disso é que o passageiro — mesmo o da classe econômica — chega bem menos cansado ao destino final.

Tem também a questão do silêncio. O 787-9 é ultra silencioso! Acho que o ar condicionado da minha casa faz mais barulho do que os motores desse avião. E isso traz uma maior sensação de relaxamento e bem-estar.

Fora isso, a classe executiva da KLM é muito confortável e dá para dormir bastante bem na cama full flat bed. Sem falar na privacidade: você praticamente só vê outros passageiros se quiser.

Não tive muita sorte com o jantar: achei o prato principal gorduroso e apimentado. Ume pena. Mas a simpatia da equipe de comissários compensou tudo.

Faltou falar da pontualidade. Na manhã do meu voo, recebi um e-mail e uma mensagem da KLM no WhatsApp avisando que a partida sofreria um atraso. Previsto para 21h50, o voo só sairia às 22h30. Saiu, de fato, às 22h55.

A chegada em Amsterdã estava prevista para 12h15 e nós pousamos às 12h40. Portanto, o comandante conseguiu recuperar parte do atraso durante o voo é só chegamos, efetivamente, 25 minutos depois do horário previsto. Muito bom.

Por fim, é claro, adicionei mais uma casinha da KLM à minha coleção. Mal posso esperar, ano que vem, pela de número 100, em homenagem aos 100 anos da companhia. Até lá, KLM!

 

  • Marcelo, tudo bom? Mega detalhado o review, obrigado por este conteúdo que com certeza vai me influenciar na hora de escolher uma próxima passagem! Sobre os cintos de segurança, estes cintos mais largos possuem um airbag acoplado e estão presentes apenas nas primeiras fileiras dos aviões mais modernos como é o caso dos Dreamliner. Um ótimo 2019 para todos vocês do Carioca NoMundo!

    • Sim, Willian, ótima observação, muito obrigado e feliz 2019! Abs!

  • Obrigado!
    Muito bem estruturado e objetivo.
    Parabéns e obrigado.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *