Vídeo: tudo sobre Machu Picchu e o trem de luxo Belmond Hiram Bingham

Que emoção foi conhecer a cidade perdida do incas! E que prazer é poder compartilhar com vocês, aqui no blog, tudo sobre Machu Picchu!

Machu Picchu foi construída por volta de 1450, portanto, bem antes da chegada dos colonizadores espanhóis ao Peru. E a cidade permaneceu desconhecida até 1911, quando foi descoberta pelo explorador americano Hiram Bingham, um pesquisador à frente de uma expedição da Universidade de Yale.

Tudo sobre Machu Picchu impressiona! São 172 construções na área urbana, entre habitações, oficinas, cozinhas, estábulos e templos.

Na área agrícola, há terraços nas encostas das montanhas, com perfeito escoamento da água da chuva, onde os alimentos eram cultivados.

Na zona sagrada da cidade, pude ver o Templo do Sol, o Templo Principal, o Templo do Condor e o relógio de sol, que ajudava a controlar os ciclos agrícolas.

Calcula-se que cerca de 700 pessoas tenham morado em Machu Picchu. Porém, até hoje, ninguém sabe ao certo a razão de existir da cidade.

Uma das teorias é a de que tenha sido um retiro, fora da capital Cusco, para o poderoso governante inca Pachacuti.

Outra tese é a de que era uma cidade de notáveis, onde viviam engenheiros, sacerdotes e astrônomos incas, todos protegidos dos inimigos na montanha, a 2.400 metros de altura.

Chegar a Machu Picchu não é fácil. Não há estradas até lá. Apenas trilhas para fazer a pé — ou trens. E eu fui no melhor trem de todos, o Belmond Hiram Bingham. Que experiência fabulosa!

No vídeo a seguir, mostro tudo sobre Machu Picchu — e também a viagem a bordo do trem Belmond Hiram Bingham, é claro!

Aproveite para se inscrever no meu canal Carioca NoMundo, no YouTube. Mas lembre-se de ativar o sininho para receber as notificações de novidades! Você pode me acompanhar também no Facebook e no Instagram @carioca_nomundo. Até lá!

 

 

Quer ler mais sobre o Peru, aqui no Carioca NoMundo? Então, não perca este post sobre dois dos melhores museus da capital, Lima: link aqui.

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *